Mizuno UpHill Marathon: muita perna, cabeça e coração!

Mizuno UpHill Marathon: muita perna, cabeça e coração!

Quando você ouve a expressão “Aquele cara é ninja!”, pode acreditar que ele tem qualidades extraordinárias, fora do comum. Imagine uma maratona de subida, com elevação de 1.500 metros entre 256 curvas, chovendo e baixa temperatura. Sim, realmente tem que ser muito ninja, um verdadeiro guerreiro para suportar tudo isso. A denominação Ninja e Samurai refere-se aos competidores que terminaram a prova de 42k e 67k, respectivamente.

A Mizuno UpHill Marathon é a primeira maratona de subida do Brasil, realizada em uma das estradas mais bonitas do mundo, a Serra do Rio do Rastro em Santa Catarina, e quem a encara já de cara tem o primeiro paredão: a inscrição.

A prova é muito cobiçada e para participar é feita uma pré-inscrição. A edição de 2018 (que aconteceu no sábado, dia 1º de setembro) teve 7 mil inscritos e apenas 1.500 corredores foram selecionados.

“Quem participa desta prova é um privilegiado. No momento em que vi o meu nome não acreditei. Fiquei muito emocionado que gritei: ‘Consegui, estou dentro!’ Era uma maratona que estava há quatro anos tentando e nunca era sorteado.”

Ronaldo Luis Pereira, atleta Masella, participou da prova e desde quando iniciou na corrida tinha o sonho em fazê-la.

Mizuno-Uphill-Marathon-foi-muita-perna,-cabeça-e-coração
Mizuno Uphill Marathon foi muita perna, cabeça e coraçãoArquivo pessoal

Na prova, que está em sua sexta edição, os corredores podem optar entre correr três distâncias: 42k, 25k e o Desafio Samurai de 67k (os atletas que fazem os dois percursos). A corrida tem um cenário incrível, de tirar o fôlego, e um percurso pra lá de desafiador. A maratona UpHill é uma corrida pesada, com um nível de dificuldade altíssimo devido a altimetria.

“Eu sempre falo para mim mesmo: ‘Ronaldo, para você as coisas têm de ser mais difíceis, senão não tem graça! Treinei no calor, na subida, no frio e o que eu tinha medo era um frio extremo e a chuva, pois não treinei nessa situação. E advinha? Foi assim! Começamos a prova com uma garoa forte e com frio, mas não muito intenso. Porém, quando cheguei nos últimos 7 kms, o trecho mais duro e íngreme, eu estava molhado e o vento era muito forte, seguido da chuva, com as gotas batendo em meu rosto com muita força. Eu não sentia as pontas dos dedos das mãos. Neste trecho, muitos corredores estavam com princípio de hipotermia esperando apoio médico. Para mim, foi muita perna, cabeça e coração.”

Mizuno Uphill Marathon foi muita perna, cabeça e coração
Mizuno Uphill Marathon foi muita perna, cabeça e coraçãoArquivo pessoal

Para se preparar para a Mizuno UpHill Marathon, Ronaldo abriu mão de certas regalias e se dedicou por inteiro para bater o tempo que estava planejando. “Foi a melhor prova de todas. Planejei em fazer a prova entre 04:00/04:30 e saiu em 04:11. Quando o meu treinador, André Masella, me disse que fui sorteado, ele já me alertou para treinamentos com foco na uphill. E foi a prova que mais me preparei.

Emagreci nove quilos e perdi gordura. Minha esposa me ajudou com uma dieta equilibrada. Nunca fiquei tão bem fisicamente para fazer uma maratona como essa.

Os meus treinos eram em Santana de Parnaíba, pois lá tem uma serra com bastante inclinação, simulando a prova, e em esteiras com inclinação, que variavam de 6% a 10% de elevação. Os longões foram muito sacrificantes, minhas pernas ficaram doloridas! Mas nada disso se compara a prova. Não existe nada igual, é única.”

Assim como um Ninja, Ronaldo combateu o seu combate e conseguiu a sua merecida medalha, a sétima em maratonas. E essa com gostinho especial, pois há muito desejava conquista-la.

“Há mais ou menos dois anos entrei na Masella e comentei com o André, em nossas inúmeras conversas, que gostaria de um dia fazer a Mizuno UpHill Marathon. Ele logo me disse: ‘Você tá louco?? Eu torço para você não ser sorteado. Quero você em uma prova rápida.’ Passado esse tempo, fui sorteado e ele me treinou. Quando estava na retirada do kit da prova, quem eu avisto? O André! Perguntei: ‘O que você está fazendo aqui?’ E com lágrimas nos olhos ele respondeu: ‘Vou correr a prova com você!’ Cara, foi um presente de Deus.”

Mizuno Uphill Marathon foi muita perna, cabeça e coração
Mizuno Uphill Marathon foi muita perna, cabeça e coraçãoArquivo pessoal

Surgimento da prova Em 2013, a Mizuno, querendo garantir seu espaço no mundo das corridas, indo além de tênis e roupas, se uniu a X3M para desenvolverem uma própria prova. Pensaram em algo inovador e que fosse distinto de tudo que já existisse. Foi então que surgiu a primeira maratona de subida do Brasil. No início, apenas 50 pessoas convidadas puderam participar, entretanto, a prova ganhou uma repercussão tão grande que abriram as inscrições para o público geral e, hoje, a Mizuno UpHill é desejada por muitos corredores amadores em busca de novos desafios. A Mizuno com certeza atingiu seu objetivo!

Se você quer conquistar novos desafio, vem pro nosso time. Clique aqui para entrar em contato e começar a trajetória.

Deixe uma resposta