Maratona Internacional de São Paulo

Maratona Internacional de São Paulo

42 quilômetros de ruas tomadas por 20 mil corredores, entre eles três atletas Masella na Maratona Internacional de São Paulo: o Anderson Elias, o Ronaldo Pereira e Cristiano Winter, para uma das provas mais aguardadas do ano por maratonistas profissionais e amadores do Brasil inteiro e de outras partes do mundo, inclusive.

Em sua 24ª edição, a prova deste ano passou por algumas mudanças no percurso, eliminando algumas curvas, tornando-se mais linear e mais rápida, seguindo os requisitos da IAAF (Associação Internacional de Federações de Atletismo, na sigla em inglês). “A prova desse ano sofreu algumas alterações, o que foi ótimo para nós que estamos correndo em um pace abaixo de 4:05-4:10. Ainda há algumas subidas, mas não tão íngremes como as do ano passado. Melhorou bastante esse novo percurso.”, relatou Anderson. Um fator que contribuiu para que Ronaldo melhorasse a sua performance foi o clima. “A temperatura estava mais amena, o que ajudou no meu desempenho durante a prova.”

Além dos 42.195m, a prova contou também com disputas por outras distâncias de 24 km, 8 km e 4 km, tanto na categoria masculina, como na feminina. Atletas portadores de necessidades especiais também tiveram a sua vez com a categoria cadeirante com triciclo para o percurso de 4km, abrindo ainda mais opção para participação de todos, sem distinção.

Aos 40 anos, Anderson Elias cruzou a linha de chegada da Maratona pela segunda vez, batendo o seu recorde pessoal na prova. Em 2017, ele completou a prova em 03:15, e na edição de 2018, diminuiu o seu tempo em 22 minutos, finalizando em 02h52min15seg. “Tive um treinamento espetacular com o André e com o Felipe (treinadores Masella) e o acompanhamento do meu fisioterapeuta Fábio. Os meus treinadores acreditam muito no meu potencial e tive uma enorme evolução. Só quero agradecer a essa equipe pela força que sempre me deram e a oportunidade de aprender com eles.”

Maratona Internacional de SP - classificação
3º colocado na classificação por faixa etária.

Para quem não sabe, o Anderson está se preparando para a Maratona de Chicago que acontecerá em outubro deste ano, e foi com a marca que ele fez na Maratona Internacional de São Paulo de 2017 que garantiu o seu ingresso para a prova. “Vou com outros alunos da assessoria Masella. Graças ao Felipe e ao André, que enviaram o meu índice, vou para Chicago em 07 de outubro. Eu nunca tive esse objetivo, porém, sempre tive prazer em correr. A gente precisa ter prazer no que faz, então não faço índice para estar nesta ou naquela prova. Estou nela para fazer o meu melhor e eu sentir o prazer de estar ali participando.”

Se no asfalto o suor escorre pelo rosto, por trás das grades de proteção, a vibração da torcida incentivando cada corredor é essencial. “O público respeita o nosso espaço e nos dá aquele animo a mais para aguentarmos a pressão da prova. Ficar até três horas debaixo de um sol quente esperando um corredor para eles aplaudirem e fazer a gente acreditar que somos capazes, isso para mim não tem preço.”, comentou Anderson.

Arquivo pessoal

Outro incentivo que foi primordial para completar a prova com êxito, veio do seu treinador Felipe Calixto, que um dia antes da prova enviou uma mensagem de apoio. “Eu estava no km 26 e a minha perna esquerda estava muito dolorida, por que eu dei uma forçadinha. Com isso, o meu psicológico ficou um pouco abalado, mas foi nesta hora que me lembrei das palavras do Felipe: “Vai sentir dor, vai precisar de muita força de vontade, vai requerer sacrifício, vai haver tentações, mas te garanto uma coisa, vai valer a pena!” E foi isso que me fez chegar aos 42 km com força. Eu foquei no que ele me disse e fui para cima. Nem que eu chegasse engatinhando, mas eu ia fazer o meu melhor e essa força que ele me deu foi essencial.”

Ronaldo também passou pelo mesmo sofrimento, porém já no finalzinho da corrida. “No km 40 estava cansado e a temperatura já estava muito quente. Foi quando o meu treinador, André Masella veio ao meu encontro e com palavras de incentivo foi me acompanhando, puxando o meu ritmo até a chegada. Para mim foi a parte mais emocionante da prova. Sou grato por ser aluno deste profissional que tem prazer no que faz e vibra pelo sucesso de seu aluno.”

Maratona Internacional de SP
Arquivo pessoal

Outros que completaram a prova e garantiram o pódio, foram os brasileiros Solonei Silva, com o tempo de 2:15:59, no masculino e a estreante, Andreias Hessel com 2:40:07, quebrando a hegemonia de atletas africanos, já que são favoritos em qualquer maratona.

Quer receber o apoio de quem entende do assunto e fazer de você um atleta completo? Clique aqui, entre em contato conosco e faça parte do nosso time!

Deixe uma resposta